Barões
Marketing de conteúdo: pessoa escrevendo um texto usando teclado wireless em cima de uma mesa branca

Marketing de conteúdo: truques aplicáveis no Brand Publishing; e vice-versa

Destrinchamos alguns dos ensinamentos de especialistas da empresa aérea LATAM

6 de fevereiro de 2019

Redação

vimos por aqui que, por mais sutis que sejam, existem algumas diferenças essenciais entre o que se conhece por marketing de conteúdo e o Brand Publishing. Ao mesmo tempo, no entanto, muitas das dicas e práticas de um podem, e devem, ser aplicadas no outro.

Em uma postagem recente, o blog da Venngage, uma ferramenta para criação de infográficos, destacou 24 dicas de especialistas da empresa aérea LATAM sobre marketing de conteúdo. E assim como as diferenças para o Brand Publishing ficam evidentes num artigo como esse, as similaridades também ficam evidenciadas.

Veja aqui alguns highlights que o Brand Publishing Brasil destacou no artigo da Venngage, sobre práticas do marketing de conteúdo, com dicas que também são muito comuns no Brand Publishing.

1. Pesquisas de palavra-chave

Ana Codeglia, analista de marketing na Hotmart, destaca no artigo o grande número de ferramentas de palavras-chave, que não só ajudam a entender o que o público de uma empresa está procurando na internet, mas também a dar para os profissionais de conteúdo ideias sobre termos relacionados ao seu nicho de mercado.

No Brand Publishing, uma vez que a marca usa uma plataforma proprietária de mídia para contar histórias e se comunicar, se apropriar de palavras-chaves relacionadas ao assunto em questão é algo obrigatório na hora de se montar a estratégia de conteúdo.

2. Análise dos concorrentes

A mesma Ana Codeglia ressalta que ver o que seus concorrentes estão fazendo é fundamental. Com isso, o conteúdo pode trazer ideias ainda melhores para o público da empresa. A profissional aconselha que, além de analisar site e redes sociais da concorrência, o profissional de marketing também pode usar ferramentas como a SEMRush, para ver quais palavras-chave eles estão usando e outros dados importantes.

Na realidade de hoje do Brand Publishing no Brasil, o foco tem que ser liderança e relevância no tema que a marca se propõe a abordar em sua plataforma de mídia. E, para isso, o uso de ferramentas é fundamental. Com elas, e com um aprofundado estudo sobre as já citadas palavras-chave, a redação pode trabalhar o conteúdo de forma mais direcionada, sem perder a qualidade e a relevância da informação passada.

3. Foco no SEO

Palavras-chave não têm esse nome à toa. Ainda dentro dessa seara, o gerente de conteúdo David Ricardo García, da Doinmedia, na Colômbia, destacou no artigo a importância de se pensar a longo prazo.

“É necessário ter uma visão e uma análise de custos a longo prazo: um único artigo de blog de três ou quatro parágrafos bem posicionados organicamente nos mecanismos de busca (SEO), pode se tornar mais eficaz e econômico em seis meses ou um ano, do que um anúncio de duas linhas continuamente promovido durante o mesmo período”, disse o especialista.

4. O funil no marketing de conteúdo

O artigo da Venngage trata de marketing de conteúdo, com dicas sobre o assunto. E com grande foco na geração de leads e em conversões. Justamente por isso, o assunto “funil” não poderia deixar de aparecer. Júlia Vidigal Munhoz, Head de Marketing e Conteúdo da mobLee, no Brasil, abordou a diferenciação dos conteúdos para topo, meio e fundo do funil.

Segundo a especialista, muitos profissionais acabam confundindo as etapas do funil. E, por isso, ela fez um breve resumo de como o leitor do conteúdo se comporta em cada parte:

  • Topo do Funil: o visitante está na fase de reconhecimento do problema. E tem dúvidas sobre suas necessidades. É uma etapa em que o objetivo é trazer mais tráfego para o seu site e entender como guiar esses visitantes para outras fases. O foco é qualificar esse tráfego.
  • Meio de Funil: na etapa intermediária, o leitor já está buscando a resolução dos seus problemas. Mesmo que não faça ideia ainda de como fazê-lo. Nesta etapa, é importante que o conteúdo forneça dicas.
  • Fundo de Funil: é quando leads qualificados são transformados em oportunidades. O visitante já está em busca de soluções concretas. E é nessa hora que o time de vendas da empresa entra em ação.

O funil no Brand Publishing

Em estratégias de Brand Publishing, a prática do funil também pode e deve ser usada. Como falamos neste artigo, muitas vezes, o objetivo de um projeto de mídia proprietária de uma marca é criar awereness. Transformando a marca numa relevante produtora de conteúdo. Nestes casos, o funil costuma ser secundário.

Mas em muitas outras oportunidade, as metas são mais agressivas. Podem ter a ver com geração de leads – com estratégias de meio de funil – ou até mesmo ter metas de conversões – com estratégias de fundo de funil. Neste caso, é importante que o profissional tenha familiaridade com esses conceitos.

Se você tem interesse em saber sobre como as marcas podem se estabelecer como publishers, assine nossa newsletter e receba o melhor conteúdo sobre Brand Publishing.