Barões
Edelman Trust Barometer

Edelman Trust Barometer 2022 confirma confiança da sociedade nas empresas

Junto com as ONGs, marcas aumentam seus índices de confiança e credibilidade, ao passo que governos e imprensa passam a ter mais descrédito com a sociedade

29 de julho de 2022

O Edelman Trust Barometer 2022, divulgado recentemente, trouxe dados importantes sobre o papel das empresas na sociedade. De acordo com o estudo anual de confiança e credibilidade dessa que é uma das maiores agências de comunicação no mundo – e que chegou a sua 22ª edição – polarização e desinformação no Brasil contribuíram para o crescimento da desconfiança no Governo e representantes governamentais, na mídia e na imprensa. Ao mesmo tempo em que aumentaram a confiança nas ONGs e nas empresas.

O indicador vai ao encontro de tudo o que diz respeito ao Brand Publishing e ao atual momento de desintermediação de mídias e da transição midiática. As marcas assumem compromissos com a sociedade que vão além de simplesmente a venda de seus produtos e serviços. Elas se tornam, também, confiáveis fontes de informação.

“Tradicionalmente no Brasil, o governo é a instituição menos confiável. Com isso, nos últimos anos, as pessoas têm esperado cada vez mais das empresas em relação aos seus papéis sociais. Essa edição do estudo também projeta as ONGs como agentes eficazes de mudanças. Para melhores resultados, no entanto, as instituições devem atuar em parceria”, diz o Edelman Trust Barometer 2022.

Números da confiabilidade

Segundo o estudo da Edelman, a confiança nas empresas no Brasil subiu 3 pontos percentuais (p.p.) e chegou a 64%. Com isso, assim como na edição anterior da pesquisa, as marcas seguem na liderança como as instituições “mais confiáveis”. Na trilha de alta, as ONGs (60%) foram as instituições que mais cresceram, com um aumento de 4 p.p.. Com isso, elas saíram de um patamar de neutralidade, onde se encontravam desde 2018, e entraram no de confiabilidade.

No âmbito global, as empresas mantiveram a liderança com os mesmos 61% de confiabilidade apresentados na edição passada, enquanto as ONGs subiram 2 p.p. e alcançaram 59%.

Competência e ética

As empresas e as ONGs também são as únicas instituições percebidas pela sociedade como éticas e competentes ao mesmo tempo. Até o ano passado, apenas as empresas se encontravam nessa posição, algo que foi alcançado este ano pelas entidades do Terceiro Setor.

Papel social das empresas

No entanto, para os entrevistados aqui no Brasil, as empresas ainda deixam a desejar e fazem pouco no combate a questões importantes da sociedade.

De acordo com o estudo, 61% dos entrevistados consideram que as empresas não fazem o suficiente a respeito da desigualdade econômica. Mudanças climáticas (60%), acesso à saúde (56%), entre outros, também foram temas apontados por mais da metade dos entrevistados.

E essa visão da sociedade, conforme conclui o Edelman Trust Barometer 2022, tem um importante impacto nos negócios dessas empresas, uma vez que 63% dos entrevistados declararam que compram ou defendem empresas com base em seus valores e crenças, assim como escolhem um lugar para trabalhar (58%) e investimentos (60%).

Sobre o Edelman Trust Barometer

O Edelman Trust Barometer é um estudo sobre confiança realizado há mais de 20 anos. De acordo com a Edelman, esse sentimento é essencial na construção e na manutenção dos relacionamentos fortes e duradouros entre instituições – empresas, governos, ONGs e mídia – e seus stakeholders.

Na edição de 2022, foram conduzidas entrevistas com mais de 36 mil pessoas nos países listados abaixo:

  • África do Sul
  • Alemanha
  • Arábia Saudita
  • Argentina
  • Austrália
  • Brasil
  • Canadá
  • China
  • Colômbia
  • Coreia do Sul
  • Emirados Árabes
  • Espanha
  • França
  • Holanda
  • Índia
  • Indonésia
  • Irlanda
  • Itália
  • Japão
  • Malásia
  • México
  • Nigéria
  • Quênia
  • Reino Unido
  • Rússia
  • Singapura
  • Tailândia